Áreas de atuação

Implantes dentários

A palavra chave para o tratamento reabilitador com implantes dentários é: Qualidade de vida!!

Algo até tão pouco tempo inalcançável, tornou-se realidade, sendo acessível para todos os que desejam voltar a poder sorrir e mastigar melhor, promovendo, acima de tudo, melhora da saúde geral de cada paciente.

A ausência de um ou mais dentes ocasiona, com o passar do tempo, movimentação indesejada tanto dos dentes adjacentes quanto de dentes no arco oposto, com inclinações dentárias desvantajosas, desarmonia importante na oclusão e diminuição de capacidade mastigatória, fora o impacto óbvio na autoestima.

Com a perda do dente, observa-se ainda uma perda óssea progressiva ao longo dos meses e anos subsequentes, gerando maior complexidade no planejamento de reabilitação da área em questão.

Como, então, solucionamos esses casos? Como funcionam os implantes dentários?

Trata-se de um implante de titânio, material biocompatível, instalado dentro do osso, abaixo da gengiva, o qual tem a função de fazer o mesmo papel da raiz do dente perdido anteriormente. Sobre o implante de titânio, é colocada a coroa protética, confeccionada numa fase posterior à inserção do implante.

Obtemos, dessa forma, os seguintes benefícios:

  • recuperação da estética e da função mastigatória, com melhor digestão de alimentos;
  • diminuição da carga nos dentes adjacentes e preservação dos mesmos;
  • paralisação da reabsorção óssea
  • melhora na qualidade de vida e na autoestima.

Em nossa rotina no consultório, frequentemente nos encontramos diante de variadas situações, gerando 3 propostas diferenciadas de tratamento:

Na primeira forma, convencional, após a extração do dente aguardamos a formação de osso no local por cerca de 2 meses, realizando então um novo procedimento cirúrgico para instalação do implante dentário, o qual permanece encoberto pela gengiva. Devemos aguardar o período de osseointegração, que dura em média 3 meses, para que seja confeccionada a coroa final sobre o implante. Sendo assim, o retorno à capacidade inicial de mastigação se dá após 5 meses da data de extração do dente.

Em outra situação, quando dentes localizados em área estética sofrem fraturas / trincas ou quando simplesmente possuem indicação de remoção, frequentemente planejamos sua EXTRAÇÃO COM A INSTALAÇÃO CONCOMITANTE DE UM IMPLANTE DENTÁRIO, em mesmo tempo cirúrgico, no local antes ocupado pela raiz. Com grande frequência, instalamos ainda no mesmo momento uma coroa protética provisória parafusada sobre o implante. Nesses casos, o paciente deixa o consultório com nível de satisfação elevado devido ao fato de já possuir um dente substituto, mesmo que provisoriamente, até que, após 3 meses, a coroa final seja confeccionada.

Numa terceira situação, um conjunto de 4 a 6 implantes são realizados num mesmo arco de forma a substituir os dentes daquele segmento em geral. Após a instalação dos implantes, todos são interligados e funcionam como um sistema onde ficam protegidos de cargas mastigatórias individuais, podendo então a prótese definitiva ser instalada juntamente com o procedimento cirúrgico inicial, a despeito do período de osseointegração que ocorrerá normalmente.

 

Open chat
Fale comigo pelo WhatsApp